Área Médica
Atendimento online via chat exclusivo para médicos
Fale Conosco
Rua Santa Clara, 240
Sorocaba/SP
TEL: (15) 3233-7925 / 3231-1614
contato@arteformulas.com.br

Notícias

Meningite

O que é?

Meningite é uma inflamação das membranas que recobrem o cérebro e outras partes do sistema nervoso central, as meninges.


Quais são as causas da meningite?

A meningite pode ter múltiplas causas, infecciosas ou não. Porém, habitualmente é decorrente de infecções bacterianas ou virais e, menos comumente, de infecções fúngicas ou pelo bacilo da tuberculose. 


Quais são as queixas do paciente?

O paciente costuma-se queixar-se de febre, dor de cabeça, vômitos. Dependendo do tipo de meningite, estes sintomas variam de intensidade. Em casos mais graves, podem aparecer confuso mental, alterações no nível de consciência, dificuldades para andar ou falar, e algumas vezes, o paciente pode entrar em estado de coma. Na meningite causada por bactérias, a febre costuma ser alta, a dor de cabeça muito forte e os vômitos intensos. O indivíduo fica toxemiado (com aparência de estar realmente muito doente). O quadro piora de modo bastante rápido. Podem ocorrer manchas na pele. Deve-se procurar rapidamente atendimento médico.

Nas meningites virais, os sintomas costumam ser menos intensos e o tempo de evolução menos rápido. Nas crianças pequenas é mais difícil reconhecer os sintomas. Nos menores que ainda tem moleira “aberta”, podemos notar que esta fica mais tensa (“estufada”). Nos bebes recém-nascidos (menores de 1 mês), qualquer febre deve ser examinada por um médico para que se descarte a possibilidade de meningite. Outros sintomas das crianças e recém-nascidos são: choro incontrolável, irritabilidade, recusa alimentar e sonolência. 


Como se faz o diagnóstico?

Deve-se sempre procurar o médico. Após o exame do paciente, este poderá dizer se é ou não um quadro com suspeita de meningite. O médico, além de perguntar sobre o que o paciente está sentindo, pode também, examina-lo e verificar indícios do acometimento das meninges, como rigidez de nuca, entre outros sinais específicos. Quando ocorre a suspeita, o médico costuma coletar um pouco do liquor (liquido que envolve o sistema nervoso, retirado da espinha) para avaliação. Apesar de ser um procedimento que costuma impressionar os pacientes (ou mães), a retirada do liquor costuma ser muito tranquila quando realizada de maneira adequada. O material colhido é examinado imediatamente, confirmando ou descartado a suspeita e meningite.  O diagnóstico do agente causador da meningite é mais demorado. Nos quadros bacterianos costuma levar 48 horas. Nas meningites virais não se costuma caracterizar o agente causador na rotina de atendimento. Nas fungicas, o diagnostico pode ser imediato ou levar vários dias (caso também da tuberculose), dependendo dos exames necessários. Sempre é mais fácil o isolamento do agente causador em pacientes que não tomaram previamente antibióticos. O paciente não deve tomar medicamento por conta própria.

O diagnóstico de meningite deve ser feito rapidamente, visando reduzir a chance de complicações. O médico deve ser procurado logo no início dos sintomas. 


Como tratar?

O tratamento pode ser feito com antibióticos, normalmente administrados diretamente na veia, caso das meningites causadas por bactérias. A meningite viral não tem tratamento especifico. O paciente recebe remédios para alivio dos sintomas e cuidados adequados. As meningites por fungos e pelo bacilo da tuberculose também são tratadas com antibióticos, administrados na veia ou por via oral, por tempo muito mais prolongado. 


Como prevenir?

A prevenção de alguns tipos de meningite pode ser feita através da administração de vacinas adequadas, por exemplo, as vacinas conjugadas contra Haemophilus influenze tipo B, Streptococcus pneumoniae e Neisseria menongite tipo C, que conferem imunidade duradoura. 

A vacina BCG, protege contra formas graves de tuberculose na infância e, portanto, de quadros de meningites causados por este bacilo.

Há também vacinas polissacaridicas (de açúcares) contra sorogrupos de meningococos e pneumococos que põem ser indicadas em situações especiais, como em controle de surtos e epidemias ou por ocasião de viagem para áreas de risco, ou ainda para pacientes com deficiências de imunidade ou doenças especificas. 

A vacina tríplice viral, contra sarampo, rubéola e caxumba, também protege contra meningite, uma vez que o vírus da caxumba constitui importante causa de meningite.

Para outros tipos de meningites, não há prevenção especifica. 

Cuidados gerais que podem ser tomados incluem evitar ambientais fechados, com grande concentração de pessoas e ventilação inadequada.  O risco de aquisição, para a maior parte delas, inclui o contato com as secreções respiratórias. 


Fonte: 

SAUDE - ENTENDENDO AS DOENÇAS, KAUFFMAN, PAUL, HELITO, ALFREDO SALIM DE, Ano:  2007. Editora: NOBEL