Área Médica
Atendimento online via chat exclusivo para médicos
Fale Conosco
Rua Santa Clara, 240
Sorocaba/SP
TEL: (15) 3233-7925 / 3231-1614
contato@arteformulas.com.br

Dicas de Saúde

Transtornos do sono - Insônia

Transtornos do sono

Quais são?

Os distúrbios do sono podem ser classificados em transtornos primários, isto é não ocasionado por nenhum outro transtorno mental ou clinico, nem pelo uso de alguma substancia, e secundários, que são aqueles devidos a outras causas. Os transtornos primários do sono decorrem de anomalidades nos mecanismos de geração ou nos horários de sono/vigília e são complicados por fatores de condicionamento (hábitos da pessoa insone). São subdivididos em dissonias (as alterações se referem à quantidade ou tempo de sono) e parassonias (comportamentos que ocorrem durante o sono). 


Insônia

Quando procurar um profissional da saúde ? 

Todos experimentamos, durante a vida, uma ou mais noites em que temos dificuldades para dormir. A insônia é a dificuldade para dormir. A insônia é a dificuldade para iniciar e/ou manter o sono. Dormir é uma necessidade essencial para restabelecimento físico e mental e a sua falta pode determinar perdas na saúde do paciente, dificuldades para o exercício profissional, acidentes no transito, e no trabalho, além da diminuição da qualidade de vida. Caso os eu padrão de sono tenha se modificado e isso tiver prejudicando seu desempenho cotidiano, é hora de consultar seu medico. Como norma geral, nunca tome medicamentos para insônia, mesmo por períodos curtos, sem orientação e prescrição de um profissional. 

Há diferentes tipos de insônia?

As insônias além de primarias e secundarias, costumam ser classificadas segundo o tempo de duração:

Insônia transitória – Duração de algumas noites. Geralmente provocadas por problemas que a pessoa esta vivendo ( no trabalho, na família ou relacionamento afetivo), por dores agudas ou mudança de fuso horário (jet-lag).

Insônia de curta duração – os períodos de estresse continuo podem determinar prejuízo no sono por 2  a 3 semanas.  A melhora da insônia costuma ocorrer quando o problema for solucionado ou quando a pessoa se adaptar à situação estressante. 

Insônia crônica -  quando o distúrbio do sono se prolonga por mais de 30 dias. As principais causas psiquiátricas são a depressão, a mania (distúrbio bipolar), a esquizofrenia e a ansiedade. Outras causas importantes são a apneia do sono (alteração da respiração) e a síndrome das pernas inquietas, além de dores de diferentes causas. 

Quais doenças costumam afetar o sono?

As mais comuns são:

Apneia do sono – provocada por uma obstrução à passagem do ar pelas vias aéreas, devido a um relaxamento excessivo dos músculos respiratórios ou a uma alteração do controle cerebral da respiração. O paciente tem pausas respiratórias (apneias) que podem durar 10 segundos ou mias e não as percebe. Clinicamente a pessoa apresenta roncosfortes intermedidos com pausas na respiração e muita sonolência diurna, pois a qualidade do sono fica deteriorada. 

Síndrome das pernas inquietas – o paciente tem contrações musculares involuntária nas pernas a cada 30 segundos, com duração de 1 a 2 segundos cada uma. A repetição deste padrão durante  anoite toda provoca um sono fragmentado e de pouca qualidade.  

Refluxo gastresofágico – quando ocorre durante a noite, a azia ( refluxo do conteúdo gástrico acido para o esôfago), além de provocar sensação de queimação no peito, costuma acordar o paciente com tosse e sensação de afogamento. A posição deitada e a diminuição da salivação quando dormimos costuma deflagrar a azia. 

Dores em diversas doenças – dores nas costas, dores de cabeça, dores articulares  (artrite) e angina no peito são algumas das dores responsáveis pela interrupção do sono, muitas vezes se prolongando-se por horas. Algumas mudanças na posição do travesseiro ou de colção pode ser muito uteis. 

Além de doenças o que mais pode causar insônia?

O estilo de vida pode desencadear ou piorar a insônia. Alguns hábitos costumam prejudicar o sono, tais como:

Cafeína: uso excessivo de cafeína durante o dia ou ingestão de café antes de dormir.

Tabagismo: A nicotina também estimula o sistema nervoso e os fumantes demoram mais conciliar o sono.

Uso de medicamento: remédios para tirar o apetite são prejudiciais para o sono, assim como algumas medicações para pressão, arritmias cardíaco, asma, gripe e inflamações (corticoides).

Uso de álcool: mesmo em pequenas quantidades, embora o álcool de sono inicialmente, pode ocasionar despertares durante o sono. 

Horários irregulares de trabalho: trabalhar a noite ou alternar horários diurnos e noturnos de trabalho podem causar alterações no padrão de sono. 

Dormir em ambientes barulhentos: mesmo que a pessoa não acorde, o ruído de aviões, do trafego, do telefone e da televisão podem afetar a qualidade do sono.

Dormir em ambientes muitos claros: a claridade também altera a qualidade do sono.

Posso fazer alguma coisa para melhorar a qualidade do meu sono?

A higiene do sono, isto é, hábitos que melhoram a qualidade do sono, recomenda:

Ir para cama somente quando tiver sono e acordar todos os dias na mesma hora.

Rituais de relaxamento antes de ir deitar são recomendáveis – tomar um banho quente, tomar um copo de leite, ler durante 10 a 15 minutos.

Exercícios intensos devem ser feitos no mínimo 6 horas antes de deitar-se, exercícios menos intensos pelo menos 4 horas antes de dormir.

Manter hábitos regulares não só para dormir ou acordar, mais também para comer  e para as atividades cotidianas ajuda a manter o equilíbrio do chamado “relógio biológico”.

Não consumir cafeína, álcool ou cigarros antes de deitar-se. A ultima xicara de café do dia deve ser consumida 6 horas antes do horário previsto de sono.

No jantar, preferir sempre alimentos leves.

Se você dorme a tarde, faça-o sempre no mesmo horário, de preferencia no meio da tarde. 


Fonte: 

• SAUDE - ENTENDENDO AS DOENÇAS, KAUFFMAN, PAUL, HELITO, ALFREDO SALIM DE, Ano:  2007. Editora: NOBEL