Área Médica
Atendimento online via chat exclusivo para médicos
Fale Conosco
Rua Santa Clara, 240
Sorocaba/SP
TEL: (15) 3233-7925 / 3231-1614
contato@arteformulas.com.br

Dicas de Saúde

Só uma dor de cabeça?

Sintomas são incapacitantes e impactam o bem estar; tratamento e prevenção fazem toda diferença.

Engana-se quem pensa que a enxaqueca é apenas uma dor de cabeça. Os incômodos incluem náusea, vômito, hipersensibilidade à luz e ruídos, traços que fazem do mal uma condição extremamente debilitante, prejudicando a vida pessoal, profissional, familiar e social dos pacientes.

“É uma doença neurológica crônica, de origem genética, caracterizada por episódios de dor de cabeça com um padrão típico e sintomas associados como náusea e intolerância a estímulos sensoriais”, explica Fernando Kowacs, coordenador do Departamento Científico de Cefaleia, da Academia Brasileira de Neurologia.

De acordo com a Sociedade Brasileira para Estudo da Dor (SBED), aproximadamente 2% da população global sofre de enxaqueca crônica, o que equivale a 4 milhões de pessoas no Brasil, sendo a terceira doença mais prevalente e a sétima mais incapacitante no mundo.

Os principais agentes disparadores das crises são os estímulos internos ou externos a que todos são submetidos no dia a dia. Entre eles, fatores ambientais, como alergias poluição e mudança de temperatura, alimentares, como a cafeína, embutidos, bebida alcoólica e o próprio jejum, hormonais, como as flutuações relacionadas ao ciclo menstrual, emocionais, como estresse, a ansiedade e a irritação, além dos distúrbios do sono, como insônia ou ter menos de seis ou mais nove horas de sono.

Felizmente, há medidas fáceis para gerenciar e prevenir a patologia. A SBED preconiza algumas ações que devem colocadas como regras básicas para a manutenção de uma boa qualidade de vida do indivíduo enxaquecoso. Evitar o acúmulo de trabalho, estabelecer rotina para o sono (7 a 8 horas), eliminar alimentos desencadeadores de dor, alimentar-se em horários regulares, realizar atividades aeróbicas leves rotineiramente, inserir atividades de relaxamento e alívio do estresse, evitar a exposição à luz, ruídos e odores fortes são algumas das indicações.


Fonte Revista Anfarmag